Na Grande Natal já tem fila de espera por leitos de UTI; 143 pacientes estão internados em estado crítico em todo o RN

Dez pacientes da Região Metropolitana de Natal aguardavam, até a manhã deste sábado (9), por leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), com casos confirmados ou suspeitos da Covid-19.

A informação foi dada pelo secretário de Saúde, Cipriano Maia, durante a entrevista coletiva concedida no final da manhã, o número de pessoas esperando por esses leitos varia durante o dia, por causa das altas recebidas por outros internados, e pode aumentar, ou diminuir.

O secretário mais uma vez pediu que os potiguares cumpram o isolamento social e as medidas de controle e contenção que não foram cumpridas “Já havíamos alertado que o relaxamento do isolamento social, o descumprimento dos decretos, refletiria em mais casos confirmados, suspeitos e óbitos” disse o secretário.

Neste sábado o Rio Grande do Norte tem 6 696 casos suspeitos, 1 919 confirmados, 662 já recuperados, 87 óbitos confirmados e 39 óbitos ainda em investigação.

Atualmente 285 leitos estão ocupados, sendo 161 na rede pública e 124 na rede privada, desse total 143 pacientes estão em estado crítico e 104 em observação.

Em relação aos 10 pacientes que estavam na fila ele informou que a Sesap já autorizou a transferência para a rede privada, de acordo com a pactuação, caso não seja possível atendê-los na rede pública.

O secretário alertou que, se as medidas de controle e contenção não forem obedecidas, o sistema poderá entrar em colapso a qualquer instante.

“Com aglomerados em filas e no comércio, sem as medidas adequadas de higiene, o vírus será propagado cada vez mais, pois já é comprovado que ele permanece em ambientes físicos por muito tempo”

Cipriano informou que foram abertos 10 novos leitos no Hospital São Luiz, mais 5 no Hospital Regional Tarcísio Maia e mais 10 no Hospital Rafael Fernandes, em Mossoró.

Em Natal e Região Metropolitana, está havendo limitação para abertura de novos leitos, devido à falta de equipamentos, além de trâmites burocráticos, mas uma das soluções para ampliar o número de leitos na Capital está sendo a transferência de pacientes do Hospital Giselda Trigueiros para outras unidades hospitalares.

Dias atrás o secretário adjunto Petrônio Spinelle informou que 30 respiradores comprados através do Consórcio Nordeste estavam para chegar nesta semana, mas só vão chegar na próxima semana.

Além de outros 14 respiradores adquiridos pelo Estado, que tiveram a entrega bloqueada pelo Governo Federal e, embora o Estado tenha ganho junto à Justiça que o fabricante entregasse os equipamentos, isto não aconteceu até agora.