Ministério da Cidadania recua e diz que não será possível antecipar auxílio emergencial

Na noite desta quarta-feira (22) o Ministério da Cidadania, responsável pela liberação do auxílio emergencial, publicou uma nota afirmando que não será possível antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial.

O anúncio da antecipação foi feito pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, na última segunda-feira (20), durante uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto com outros integrantes do governo.

Ele afirmou que a segunda parcela que estava prevista para começar a ser paga no dia 27 começaria já nesta quinta-feira (23), para quem solicitou o auxílio através do site ou app e inscritos no CadÚnico que não recebem o Bolsa Família.

A nota publicada pelo Ministério da Cidadania hoje diz que, devido ao alto número de informais cadastrados todas as expectativas foram superadas e será preciso solicitar crédito suplementar.

“Devido ao alto número de informais cadastrados e a determinação do governo em não deixar ninguém para trás, todas as expectativas foram superadas e tornou-se imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos.”

A nota informa ainda que o valor disponível para cada uma das três parcelas é de R$ 32,7 bilhões, ainda serão avaliados cerca de 12 milhões de cadastrados para receber a primeira parcela e R$ 31,3 bilhões já foram transferidos.

“Recebemos uma recomendação da Controladoria Geral da União (CGU) a este respeito. O Governo Bolsonaro tem como marca a responsabilidade fiscal e o cumprimento de todas as normas legais.”

A nota finaliza informando que após a definição do orçamento suplementar, feita pelo Ministério da Economia, será completado o atendimento da primeira parcela e anunciado o calendário de pagamento da segunda parcela.