OPINIÃO: 100% DA CIDADE DE EXTREMOZ É FAVORÁVEL AO DESASTROSO GOVERNO BOLSONARO?

O ex-presidente Fernando Collor e o presidente Jair Bolsonaro - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Essa foi a mensagem que a Câmara Municipal de Extremoz deu ao aprovar, por unanimidade, o título de cidadão extremozense ao atual presidente da república na última quinta-feira dia 20 de maio. A medida vem tendo uma repercussão bastante negativa nas redes sociais. A aprovação da honraria coincide com a realização da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) em que são apurados fatos, ações e omissões do governo federal durante a condução da pandemia. No mesmo dia prestava depoimento o ex-ministro da saúde no Senado Federal.

O caso chama ainda mais atenção por não ter existido uma única voz contrária a se manifestar durante a votação. Após a leitura da proposição a presidente da sessão indagou os senhores vereadores se algum deles gostaria de discutir ou se posicionar sobre a proposição e, teve como resposta, longos 18 segundos de um silêncio, absolutamente, constrangedor. Como é possível acompanhar e observar no link da referida sessão, por volta dos 29 minutos do vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=JK2RGzfQrK0&t=1744s

Será que esse tipo de iniciativa é realmente prioridade para a cidade de Extremoz? Talvez a cidade não tenha outros problemas ou transtornos que se preocupar, para serem enfrentados e resolvidos. Fica registrada a indagação.

Em relação a gestão do governo federal na pandemia, três pontos já estão bastante claros e com a instauração da CPI ficaram ainda mais evidentes e documentados, são eles;

1 – VACINAS: O governo federal não teve competência para comprar as vacinas com a antecedência necessária. Contribuindo, assim, para o número escandaloso de mortes. O argumento de legislação pré-existente já foi tecnicamente refutado.

2 – MEDICAMENTOS: A prescrição de medicamentos sem eficácia científica comprovada como forma de tratamento precoce. Como o governo defende, ainda hoje, o tal tratamento precoce não cabe nem comentar.

3 – OXIGÊNIO: Crise do oxigênio que levou ao colapso o sistema de saúde de Manaus. Aqui temos um dos momentos mais graves na falha condução da pandemia. Responsabilidades precisam ser apuradas.

O fato é que o resultado do conjunto de todos esses fatores já levou a morte de quase 450.000 mil brasileiros e brasileiras. São parentes e entes queridos que não voltarão para os braços dos que ficaram. Resta a saudade, o vazio e a dor da perda.

Para além de querelas políticas e ideológicas que ninguém aguenta mais – acredito que a população espera outro tipo de atuação de seus representantes no poder legislativo municipal. Ou, talvez, tenham esquecido que não foram eleitos para falar em nome próprio, e sim, de seus eleitores. Aqui, fica um singelo apelo, para que respeitem seus eleitores e possam consultar e ouvir o que pensa a população, antes de falar por ela. A população precisa ser respeitada e acima de tudo – representada!

Em outras cidades proposições semelhantes têm causado polêmica. A grande repercussão negativa tem levado algumas casas legislativas a se arrependerem e pleitear o cancelamento da concessão do título de cidadão para o presidente. Como é o caso da Câmara Municipal de Iguatu no Ceará, uma cidade com mais de 100.000 mil habitantes. Há duas semanas, os parlamentares aprovaram a honraria, e após a repercussão negativa, alguns vereadores desistiram do voto e pedem a revogação da honraria.  https://www.opovo.com.br/noticias/politica/2021/05/07/bolsonaro-ganha-titulo-de-cidadao-de-iguatu–vereadores-se-arrependem-e-agora-querem-cancelar-honraria.html

Convido os leitores dessa coluna a manifestar sua opinião sobre o ocorrido essa semana em Extremoz. Desde já agradeço sua valiosa participação respondendo uma simples pergunta e registrando no link abaixo:

Consulta Popular:

Você é favorável a iniciativa da Câmara Municipal de Extremoz em aprovar requerimento que concede o título de cidadão extremozense ao presidente da República J. Bolsonaro?

https://forms.gle/x2HC8edWwtnUmFUx6