Ex-procurador diz que foi procurado por Temer, Henrique Alves e Aécio para barrar investigações

Na noite dessa quinta-feira (26), o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fez uma série de revelações sobre sua passagem pela PGR (Procuradoria Geral da República).

Em uma delas ele afirmou que foi armado ao Supremo para matar o Ministro Gilmar Mendes, conforme noticiamos aqui. Ele também revelou que foi procurado por Temer, Henrique Alves e Aécio Neves.

Segundo Janot a conversa com Henrique Eduardo Alves e Michel Temer ocorreu em março de 2016, quando Temer ainda era vice-presidente. O encontro aconteceu no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente.

Ele [Temer] e o Henrique Alves abriram a conversa assim: ‘Estamos aqui para conversar não com o procurador-geral, mas com o patriota’. Aí o Henrique Alves disse: ‘Queremos clamar que o senhor não permita que o Brasil entre nessa situação de risco. Esse cara [Cunha] é louco, o senhor tem que parar a investigação’. Nesse momento o Zé Eduardo (então advogado da Dilma) entrou”. Relatou Rodrigo Janot.

Ainda segundo Janot ele questionou Temer, perguntando se ele sabia a gravidade da proposta que estava fazendo. “Eles queriam que eu praticasse um crime, o de prevaricação. Chuetei o balde e falei alguns palavrões antes de ir embora” completa Janot.

O ex-procurador também contou que foi procurado duas vezes pelo então senador e investigado por recebimento de propina, Aécio Neves. Rodrigo Janot disse que Aécio sentiu que as investigações do caso da Odebrecht estavam esquentando, então ele convidou o então procurador para ser Ministro da Justiça caso fosse eleito em 2018.

Janot afirma que recusou, mas Aécio voltou a entrar em contato com ele, dessa vez oferecendo o posto de vice-presidente em 2018. Rodrigo Janot afirmou que era óbvio que os dois pedidos foram uma tentativa de cooptação.