Alunos da rede municípal de educação Extremoz iniciam ano letivo sem aulas e professores com indicativo de greve

Os alunos da rede municipal de ensino de Extremoz não tiveram aulas nesta segunda-feira (02), data definida para o início do ano letivo no município.

Professores e diretores das escolas e creches estiveram reunidos com os pais pela manhã para explicar o motivo de sequer ter uma previsão para o real início das aulas.

Os problemas variam de escola para escola, porém os mais comuns são: falta de estrutura dos prédios, falta de funcionários como professores, ASGs (Assistentes de Serviços Gerais), porteiros e merendeiras.

Em algumas escolas também não tem gás para o preparo dos alimentos, ou não tem a merenda para ser preparada, além dos problemas nos ares-condicionados.

Na última sexta-feira (28) o SINTE (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública) reuniu a categoria para votar o indicativo de greve para o dia 04 de março, quarta-feira.

Na pauta de reivindicações da categoria estão: melhoria na infraestrutura das escolas, contratação de profissionais da educação, implementação do piso salarial. garantia da merenda escolar e melhoraria nos transportes escolares.

A categoria também pede a fixação de datas para o pagamento dos salários em atraso, eles deverão se reunir novamente na quarta-feira para decidir como ficará a situação.

Ainda na manhã de ontem, (01) uma escola localizada em Vila de Fátima, zona rural de Extremoz, teve parte de sua estrutura comprometida e desabou.